segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Seguuuuuuuuuraaaa, peãaaaaooooo!!!

Seguuuuuuuuuraaaa, peãaaaaooooo!!!
Matéria com o meia Tony, do CRB, que é fazendeiro, publicada na edição desse fim de semana.
Texto de Maurício Manoel, estagiário da editoria de Esportes da Gazeta de Alagoas.
Foto: Ailton Cruz.
Edição: Fernanda Medeiros.
Revisão: Pedro Araújo.
Diagramação: Jorge Carlos e Wado.

#Cowboy

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Azulão é Serie B de novo, após 25 anos!

Fernanda Medeiros
Com Gazetaweb e Gazeta de Alagoas


Festa em Maceió, em Alagoas e onde quer que exista um torcedor azulino! Depois de 25 anos, o CSA está de volta à Série B do Campeonato Brasileiro. Com o Estádio Rei Pelé lotado, totalmente vestido nas cores e azul e branco, o Azulão do Mutange venceu o Tombense-MG, por 1 a 0, na noite desta segunda-feira, em jogo pelas quartas de final da Série C, e garantiu o retorno à Segundona nacional de 2018, além da vaga na semifinal da competição, onde vai enfrentar o São Bento-SP, no próximo fim de semana. O primeiro jogo será em Sorocaba, pois, com a vitória de ontem, o Azulão soma mais pontos (38) que o São Bento (35) e tem o direito de fazer o segundo duelo em casa. Também já garantiram o acesso Sampaio Corrêa-MA e Fortaleza-CE.
O gol do Azulão foi de Edinho, aos 17 minutos do primeiro tempo. No jogo de ida, na segunda-feira, 18, o Azulão bateu o time mineiro por 2 a 0, jogando na cidade de Tombos-MG. Uma excelente vantagem que fez o torcedor azulino já dar como certo o acesso do time à Série B.

COMO SE DEU O ACESSO
A partida começou com o Tombense investindo no ataque e conseguindo escanteio, aos 10 e aos 13 minutos, mas nas duas cobranças o CSA conseguiu evitar que a bola fosse no gol de Mota.
E foi justamente o Azulão quem abriu o placar. Aos 17 minutos, após bela jogada de Raul Diogo, pela esquerda, ele cruzou rasteiro na área e Edinho apareceu sozinho e só fez empurrar a bola para as redes do Tombense: 1 a 0, levando a torcida azulina ao delírio, no Rei Pelé e nos demais locais onde foram instalados telões para a torcida assistir ao jogo, em Maceió e até no interior do Estado.
Aos 21 minutos, o Tombense teve uma cobrança de falta com Maradona, mas a bola passou por cima do gol de Mota, indo para jogada de tiro de meta para o CSA.
O CSA respondeu aos 23 minutos. Em mais uma rápida jogada pelo lado direito, Michel Douglas entrou na área com velocidade, mas Keke se jogou na bola, impedindo a jogada.
Em desvantagem no placar, o Tombense passou a ir ao ataque, deixando muito espaço na defesa, enquanto o CSA se fechou a só ia na boa. E em um desses momentos, aos 28 minutos, Marcos Antonio tentou o chute de longe, de fora da área, mas a bola foi longe do gol.
Aos 43 minutos, o Tombense arriscou com Everton Dias, de fora da área, dando o primeiro chute do time mineiro em direção ao gol do Azulão.

ETAPA FINAL
No segundo tempo o CSA buscou logo o ataque, aos 8 minutos, com Daniel Costa, mas a bola saiu pela linha de fundo. O Tombense pressionava e não se entregava, mas a bola não chegava com perigo ao gol do CSA, pois o time azulino neutralizava bem as investidas do adversário. O jogo ficou morno e o tempo passava. Bom para o Azulão, que só fez administrar o resultado.
Aos 33 minutos, uma bola foi colocada na área do CSA, Michel Douglas tentou cortar e furou. A redonda quase enganou Mota, que acabou evitando o gol contra.
E já não havia mais tempo para nada. O árbitro Péricles Bassols encerrou a partida aos 48 minutos e a torcida azulina foi só festa. Cantou e comemorou no estádio e em várias partes de Alagoas e pelo Brasil à fora, onde existe um torcedor do Azulão.

CSA – Mota; Celsinho, Leandro Souza, Jorge Fellipe e Raul Diogo; Dawhan (Michel Schmoller), Boquita, Marcos Antonio (Caique) e Daniel Costa; Edinho (Didira) e Michel Douglas. Técnico: Flávio Araújo.

Tombense – Darley; Marcelo, Welington Carvalho, Ednei e Denis Neves; Everton Dias, Everton (Maycon), Maradona (Dieguinho) e Allan Dias (Lucas); Max e Keke. Técnico: Raul Cabral.

(Fotos: Felipe Brasil e Ailton Cruz-GA)


segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Do céu ao inferno!

Triste realidade! 
Matéria da edição do fim de semana na Gazeta de Alagoas. 
Mas o ASA caiu mesmo para a Série D.


terça-feira, 29 de agosto de 2017

Comissão de Árbitros: sob novo comando

Confusões na arbitragem de Alagoas à parte, matéria sobre a nova Comissão de Arbitragem da Federação Alagoana de Futebol (CA-FAF), publicada na edição do último fim de semana, na Gazeta de Alagoas.


sábado, 29 de julho de 2017

Matéria na Gazetaweb: a minha primeira

Com a convergência das mídias, eis a minha primeira matéria no site Gazetaweb.com, com o repórter Francisco José Cardoso, que também editou o texto. É sobre o jogo do ASA, que perdeu para o Sampaio Corrêa, pela Série C, neste sábado.
Vocês podem ver lá no site acessando este link: http://gazetaweb.globo.com/portal/noticia/2017/07/_37683.php

Buscando a reação no Campeonato Brasileiro da Série C, onde era o vice-lanterna, com apenas 11 pontos, no Grupo A, o ASA precisava mais do que nunca de uma vitória, mas decepcionou e amargou mais uma derrota, desta vez para o Sampaio Corrêa, por 1 a 0, neste sábado. O jogo foi disputado às 17 horas, no Estádio Castelão, em São Luís-MA, válido pela 12ª rodada da competição. O gol da "Bolívia Querida" foi assinalado pelo atacante Felipe Marques, no segundo tempo.
Um detalhe curioso e cheio de superstição: fora e dentro do Castelão havia sal grosso espalhado por toda a parte, colocado pela torcida do Sampaio, que também benzeu o estádio, a fim de afastar a maré de azar do time que não tinha vencido jogando no Gigante do Outeiro desde os 2 a 1 contra o Moto Club, ainda na primeira rodada da Série C. E deu certo.
Com esse resultado, o Alvinegro continua com 11 pontos e desce, ao menos por enquanto, para a lanterna; enquanto o Sampaio, passa a somar 19 pontos, ficando na terceira colocação.
O próximo duelo do time alvinegro será no dia 5 de agosto (sábado), às 21h, contra o Fortaleza, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca. E o Sampaio Corrêa pega o Cuiabá no dia 6 (domingo), na Arena Pantanal, às 19 horas.
O jogo
Na etapa inicial, o jogo foi fraco e sem lances de grandes emoções, com o Sampaio jogando em cima dos erros do Alvinegro. Este, por sua vez, não conseguia se encontrar e fez um primeiro tempo decepcionante, muito abaixo das expectativas. O Alvinegro não conseguiu produzir nada em termos ofensivos nessa primeira etapa.
Para se ter uma ideia do drama do ASA, o primeiro e único contra-ataque do time alvinegro no tempo inicial aconteceu aos 39 minutos, quando Jhullian recebeu a bola, mas desperdiçou a chance porque César Sampaio conseguiu recuperar a redonda. A "Bolívia Querida" pressionava e deu a resposta aos 40 minutos. Após a bola bater na trave, Marlon chutou firme, mas o goleiro Carlão defendeu, como por um milagre, evitando o que seria o gol do Sampaio. E o placar não saiu do zero a zero.
No segundo tempo, o ASA parecia ter voltado melhor para o jogo, mas foi o Sampaio Corrêa que abriu o placar, aos 12 minutos. Após jogada de contra-ataque iniciada por Hiltinho, a zaga do Alvinegro deu vacilo, toda aberta, e Felipe Marques colocou no canto direito do gol de Carlão: 1 a 0. Detalhe que na origem do gol do Sampaio o ASA desperdiçou cobrança de escanteio, a exemplo do que houve contra o Remo.
Aos 19 minutos, outra boa chance foi criada pelo Sampaio, mas foi desperdiçada pelo atacante Isac, pois ele pegou muito embaixo da bola no momento da finalização. Enquanto isso, o ASA seguia jogando muito mal. Tentava chegar ao gol por meio das jogadas de bolas paradas, mas sem sucesso. Continuava desorganizado e tentava na base do desespero. Já o Sampaio passou a jogar todo fechado, se precavendo.
Aos 39 minutos, quase outro gol do Sampaio, e novamente com Felipe Marques. A bola ia entrando no canto direito, mas o goleiro Carlão voltou a praticar grande defesa, para alívio do Alvinegro. O ASA respondeu através de uma jogada de bola parada, aos 41 minutos. O zagueiro Maracás derrubou o volante Leanderson na entrada de sua área, o lateral Everton foi para a cobrança da falta e o goleiro Alex Alves agarrou sem direito a rebote.
E, aos 49 minutos, sem haver tempo para mais nada, o jogo terminou mesmo com a vitória do time maranhense sobre a equipe alagoana.